apresentação

apresentação

LIVRO ZEN ORIGAMI

Mandalas in action integrantes do LIVRO "ZEN ORIGAMI" no qual estou trabalhando.

15 dezembro 2014

ZAZEN

Eu dobro como quem respira.

Dobrar: comunhão cotidiana
tão entranhada em mim
como o ar que alimenta a vida.

Dobrar: estado de meditação
e quando estou lá
não há mais eu
nem nada
nem ninguém.

Zazen.

Dobro como uma catarse
para limpar a alma, 
arejar os cantos
me reinventar.

Dobrar me remete ao vazio.
Aqui e agora.
Essência.

Quando dobro sou pura existência,
desapego, 
totalidade.

Já não mais eu, 
mas ela através de mim.
Silêncio,
entrega, 
contemplação.

Dobrar é a melhor forma que encontrei de oração.
Márcia Krone




2 comentários:

  1. Sensacional! Me identifico muitíssimo com suas palavras... Realmente, a prática do dobrar se afina muito bem com as infinitas formas de oração, de meditação, de teurgia... Parabéns! Sábias e emocionantes palavras!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada, Briana. É um alento saber que para você também é assim.

    ResponderExcluir